sábado, 29 de setembro de 2012

Mais uma tomatada!

Na época do tomate, vem ter muito tomate cá a casa. E eu tento aproveitá-lo todo. Entre outras coisas, gosto de fazer refogado em quantidades quase industriais, para depois guardar.



Esterilizei os frascos, deitei-lhes o refogado ainda quente, fechei de imediato e pasteurizei (dentro de uma panela, com água a cerca de dois terços da altura dos frascos).
Não é preciso guardar no congelador, basta armazenar em local fresco que, em princípio, não se estraga; esta é, por isso, uma alternativa para quem não tem espaço para uma arca congeladora.
Desta vez, esqueci-me de adicionar vinagre, que ajuda a conservar, pelo que este deverá ser o primeiro a ser usado. Vamos ver se na próxima empreitada não me esqueço. Só para que tenham ideia, usei recentemente o último do ano passado, que já estava aberto no frigorífico há algum tempo, e ainda não tinha bolor!!!
Vantagens? Temos um produto caseiro, sem aditivos, não é preciso comprar, poupa-se tempo na cozinha, ... chega??? Acho que sim. 

5 comentários:

  1. Boa noite.

    Já agora, qual é a receita para essa "Tomatada"?

    Obrigado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo um refogado gigante!!! Azeite, muita cebola, muito tomate, muito alho. Opcionalmente, pode-se adicionar pimento (o meu eleito é o vermelho), pimentão doce, pimenta moída, salsa, manjericão, aipo, etc. Quase no final, adiciono vinagre, que ajuda a conservar. Não gosto de adicionar coisas com sabores muito fortes para não tornar a tomatada cansativa; o aipo e o menjericão, por exemplo, prefiro adicionar na hora de usar o molho de tomate. Enfim, é só pôr a imaginação a trabalhar...

      Eliminar
    2. Ah! Triturar ou não é uma opção...

      Eliminar
  2. Obrigada pela partilha, encontrei o blog agora e estou a gostar das dicas.

    Bom fim de semana!

    ResponderEliminar